Acesso Restrito

Email:
Senha:
 
 

Retorna a página principal da Biblioteca online www.ceesplanada.com.br

Página Autor

João Simões Lopes Neto
Página da Bibliografia do Autor
 
João Simões Lopes Neto
João Simões Lopes Neto
AcessoRápido:
Biografia

(1865-1916)


João Simões Lopes Neto foi, segundo estudiosos e críticos de literatura, o maior escritor regionalista do Rio Grande do Sul. Nasceu em Pelotas, em 9 de março de 1865, filho de família abastada da região.

Com treze anos de idade, foi para o Rio de Janeiro, estudar no famoso colégio Abílio. Retornando ao Sul, fixa-se em sua terra natal, Pelotas, então rica e próspera pelas mais de cinqüenta charqueadas que lhe davam a base econômica.

Envolveu-se em uma série de iniciativas de negócios que incluíram uma fábrica de vidros e uma destilaria. Os negócios fracassaram pois a época foi marcada pela devastadora guerra civil no Rio Grande do Sul e a economia local fora duramente abalada. Depois disto, construiu uma fábrica de cigarros. Os produtos, fumos e cigarros, receberam o nome de Diabo , Marca Diabo , o que gerou protestos religiosos. Sua audácia empresarial o levou ainda a montar uma firma para torrar e moer café, e desenvolveu uma fórmula à base de tabaco para combater sarna e carrapatos. Fundou ainda uma mineradora, para explorar prata em Santa Catarina.

Casou-se aos 27 anos com Francisca de Paula Meireles Leite, de 19 anos, no dia 5 de maio de 1892.

Como escritor, Simões Lopes Neto procurou em sua produção literária valorizar a história do gaúcho e suas tradições.

Entre 15 de outubro e 14 de dezembro de 1893, J. Simões Lopes Neto, sob o pseudônimo de Serafim Bemol , e em parceria com Sátiro Clemente e D. Salustiano, escreveram, em forma de folhetim, A Mandinga , poema em prosa. Mas a própria existência de seus co-autores é questionada. Provavelmente foi mais uma brincadeira de Simões Lopes Neto.

Em certa fase da vida, empobrecido, sobreviveu como jornalista em Pelotas.

Publicou apenas três livros em sua vida: Cancioneiro Guasca (1910), Contos Gauchescos (1912), e Lendas do Sul (1913).

Morreu em 14 de junho de 1916, em Pelotas, aos cinqüenta e um anos, de uma úlcera perfurada.

Sua literatura ultrapassou fronteiras e hoje pertence à literatura universal, tendo sido traduzido para diversas línguas.

 
Obras:

Contos Gauchescos
Download
Lendas do Sul
Download

 

Estrada do Mendanha, n° 1.375/1.391 – Campo Grande - Rio de Janeiro - Cep. 23090-281
Reconhecido pela Portaria n° 3.968/CDCR de 31.08.94
Tel(fax): 2413-8197 / 3406-4163
Email: esplanadaescola@gmail.com

Uma escola evangélica ministrando a Verdade - Zona Oeste -Rio de Janeiro